MAGAZINELUIZA

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

UM SOCORRO BEM PRESENTE E NÃO VISTO.

Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia. Salmo 46:01
O fator principal para se manter sobre seus pés em qualquer circunstancias, é ter equilíbrio. O equilíbrio é a principal arma contra as adversidades, ele será a válvula de escape para se encontrar o botão que pode abrir a porta do refúgio, sem ele, a ansiedade tende a dominar, fazendo até aquilo que não é tão difícil tornar-se sofrido, amargo.
Em qualquer que seja a situação, dominar as rédeas é vital para qualquer ser humano, pensar antes de agir é fundamental para se ter êxito, analisar antes de fazer é propício para quem sabe o quer, agir com cautela é essencial para todas as ocasiões, Acreditar que Deus está no controle é o que garante a Vitoria.
Existe coisas que acontecem na vida humana que é como um fio da navalha, se não souber manuseá-la, certamente haverá cortes profundos em si, ou até fatal. Há situações que será preciso buscar forças no profundo do ser, tomar as atitudes com prudência, e não se deixar levar pelas ocorrências em si, pois, se formos olhar paras os lados, para os ventos que sopram fortes, para o vento frio que faz arrepiar a nossa pele; se oscilarmos por estarmos sozinho na batalha, iremos afundar.
Não foi diferente nesta passagem bíblica; quando Pedro questionou a Jesus se era Ele mesmo que estava andando sobre as águas, que ordenasse que ele também andasse, algo profundo neste pequeno trecho; Pedro, juntos dos demais discípulos, não viram Jesus, eles tinham avistado um vulto caminhado na direção do barco onde eles estavam, porém, eles ouviram a voz de Jesus; diante de tão grande nuvem de acontecimentos que estava acontecendo na vida dos discípulos; eles não conseguiram ver que o que vinha em direção a eles, era o socorro. E vendo que se fatigavam a remar, porque o vento lhes era contrário, perto da quarta vigília da noite aproximou-se, deles andando sobre o mar, e queria passar-lhe adiante. Marcos 06:48.
Preste bem atenção neste versículo, mesmo não estando no barco com os discípulos, Jesus estava vendo a situação deles, sabia que eles estavam fatigados, que eles estavam em perigo; haviam ventos contrário soprando sobre eles, Jesus estava vendo que a noite daqueles servos, havia sido de turbulência, sofrida, mesmo o dia já está se aproximando, a situação continuava na mesma coisa, ou seja, havia adversidades demais tirando o sossego dos discípulos. Jesus então, resolver ir ao encontro deles, Aleluias!
Jesus vendo que os seus discípulos estavam em apuros, não esperou que eles saíssem dali para se aproximarem Dele, Jesus foi até o local onde eles estavam, o interessante é que, Jesus, estava indo sobre aquilo que estava causando transtorno e espanto na vida dos discípulos, aquilo pelo qual causava agonia para eles. O intuito de Jesus era ir e passar adiante deles, ou seja, tomar o controle da situação, abrir alas para eles passarem, Jesus queria resolver definitivamente o problema que os discípulos estavam atravessando, colocar tudo em ordem.
Só que, a maneira que o agir de Deus vem em nossa direção, é contraditória com aquilo que nós esperamos, porque Deus não faz as coisas como nós queremos, Ele faz como nós precisamos, e, isto gerou uma outra circunstância para a vida de Pedro, e não dos demais discípulos, apesar de todos terem a mesma reação, de todos esboçarem o mesmo sentimento de Pavor. Mas, quando eles o viram andar sobre o mar, cuidaram que era um fantasma, e deram grandes gritos. Marcos 06:49. Mateus 14:26.
Pedro, já sabia o que Deus podia fazer, ele já trazia em si uma inclinação para as coisas de Deus, porque na verdade o coração dele era sensível para a voz de Deus, Pedro tinha um chamado especial, até diferenciado dos outros apóstolos; Sempre nos quatro evangelho há diálogo entre Jesus e Pedro, ele sempre questiona, sempre interroga, sempre confessa, o próprio Jesus afirmou que, quando ele se convertesse ele edificaria a muitos. Mas eu roguei por ti, para que tua fé na desfaleça; e tu, quando te converteres, confirma teus irmãos. Lucas 22:32.
Jesus ainda, ratificou o chamado de Pedro como uma pedra de referência, até na hora da morte, quiseram que Pedro morresse igual a Jesus, e ele recursou, o temor que ele trazia em sua alma. Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Mateus 16:18.
Pedro não estava vendo de fato se era Jesus, sobre as águas, mas, a voz, fazia ele refletir que era, ele então, ousou-se a desafiar a Jesus e a ele mesmo; Pedro viu ali a oportunidade de também fazer o sobrenatural, já que Jesus teria dito, que se cressem fariam as mesma coisas ou maiores ainda; Pedro, queria fazer o que Jesus estava fazendo, caminhar sobre as águas. E respondendo Pedro e disse: Senhor, se és tu, manda-me ir ter contigo por cima das águas. Mateus 14:28, Como o próprio Jesus nos disse que tudo que pedirmos com fé, crendo, receberemos, mandou que Pedro viesse ao seu encontro. Mateus 14:29.
Enquanto Pedro caminhava crendo na ordem de Jesus, ele ia alcançado o seu objetivo, porém, a partir do momento que ele olhou para o local aonde ele estava, a mente humana dominou os cordéis da sua fé. E Pedro começou a afundar. Pensou eu; naquele momento no coração de Pedro ele deve ter questionado para si; porque não fiquei no barco?
Mas, o socorro, agora estava também visível aos olhos de Pedro, então ele Clamou; Mas, sentindo o vento forte, teve medo; e começando a ir para o fundo, clamou, dizendo: Senhor, Salva-me. Mateus 14:30.
O que acontece muitas vezes em nossa vida é que queremos um bocado vindo de Deus, mas, não estamos preparados para receber, e, ousamo-nos a desafiar a nossa fé, pois, como Pedro já

terça-feira, 1 de setembro de 2015

O AI DA MODERNIDADE

Quais remanescentes conseguirão resistir e manter firme a verdadeira fé?
Quem dentre nós sobreviverá na exatidão da palavra, quebrando os protocolos impostos pela modernidade?
Não é de admirar-se, com a conduta dos cristãos da atualidade, E tu, Daniel, encerra estas palavras e sela este livro, até ao fim do tempo; muitos correrão de uma parte para outra, e o conhecimento se multiplicará. Daniel 12:4. A igreja tem ficado vulnerável a uma sociedade engodada pelas novidades e manchada pelo mal, onde tudo é licito, entretanto, não é tudo que nos convém. O próprio Jesus já havia advertido que estas coisas iriam acontecer. Em verdade vos digo que não passará está geração sem que todas estas coisas aconteçam. Mateus 24:34.
Outrora, era tudo diferente, as reuniões de libertação eram tão fortes que as pessoas enfermas vomitavam diversos tipos de doenças. As palavras do pregador eram como marteladas no coração do pecador, convencia-nos do quanto era necessário arrepender-se e entregar a vida a Jesus.
Havia satisfação em participar dos cultos de oração nas primeiras horas do dia, muitos, antes dos serviços rotineiros iam buscar a presença de Deus, era quase duas horas de joelhos clamando ao Senhor.
Os cultos da Ceia eram para memorizar a volta de Jesus; era plena conscientização de que é necessário nascer de novo, que não se pode servir a Deus da mesma forma que estava lá fora; o Vinde como estais; não é, permaneça da mesma forma.
As pregações sobre arrebatamento mexia com a estrutura dos ouvintes, saiamos daquele lugar como noivas que precisava arrumar-se para o casamento; como um soldado que necessitava se preparar para a batalha, como pecadores que precisava das misericórdias de Deus, mudanças se faziam necessárias.
Bom eram os cultos das tardes de domingos nas praças, evangelizar era preciso, as pessoas precisavam saber que havíamos comido de um maná que sustenta para eternidade e que elas também precisavam fazer isto; Havia amor pelas almas que ainda não havia conhecido o favor imerecido de Cristo na Cruz do Calvário, algo nos impulsionava a dizer para outras pessoas, o quanto Jesus é maravilhoso, e que, Ele as amava.
Não havia muito recurso, louvar, tudo era na garganta a seco, a alegria que havia quando alguém se rendia aos pés de Jesus, era algo incomparável, porque tínhamos certeza o que o diabo tinha perdido mais uma. Como as coisas mudaram em tão pouco tempo.
Arrependimento e perdão eram ensinados assim como a batida do martelo de um juiz que dá o veredito final. Ou seja, para ser salvo tem que arrepender-se dos seus feitos antigos, e aprender liberar perdão, quando necessário. Os louvores tocavam na alma; não havia tanta dança, mas havia adoração. Os intercessores colocavam-se na brecha pela vida de outro irmão. Muitos serviam de coluna para que os novos decididos viessem a continuar na verdadeira fé.
Quem realmente se aproximava, demonstrava interesse em conhecer a palavra de Deus, havia fome, havia sede, os mais antigos na fé, ajudava os novos decididos na caminhada, para viver na verdade de Cristo.
Existia temor a Deus, Aqueles que anunciavam a palavra eram respeitados, eram vistos como representantes de Deus. Assim a igreja crescia, ainda parecia à igreja de Atos. Havia problemas, mas, havia crentes.
Hoje, a modernidade corrompeu os púlpitos, as roupas sobressaem à palavra, a técnica atropelou a unção. Existem muitos pregadores de laboratório cujo coração anda inflamado, busca a gloria para si, muito fuzuê, oba-oba, gritaria e nenhum milagre, e o verdadeiro sustento, para alimentar a alma do homem quase já não se ouve, falta crentes, sobram problemas, está em extinção os adoradores, tem demais aproveitadores, usurpadores.
Há muito Mestre de si mesmo, a mensagem da cruz foi revogada, abolido foi à contrição, conversão de pecador hoje, é para falar da vida do irmão, o que devia ser Santo virou profano; é um faz de contas que se é o que não é. Tantos que jejuam para que o irmão não cresça, muitos oram para destruir o outro, faz se reunião para denegrir a imagem do outro, só porque não simpatiza muito, ou sente inveja, ainda afirma; Eu Sou Cristão! Será que essas pessoas já perguntaram a Jesus o que Ele diz delas? Como eles se multiplicaram, assim pecaram contra mim; eu mudarei a sua honra em vergonha. Oséias 4:7.
Os templos parecem clubes sociais, muitos, não vão buscar a Deus, mas, adquirir aquilo que bem convém para si; Status, Fama, Aparecimento, Gloria humana, sobressair-se aquele que dizimar mais, é bem visto os que têm primícias volumosas, é bem aceitos os que dão ofertas gordurosas; Os atalaias ficaram emudecidos diante a voz ativa do mundo, comeram do bolo envenenado das trevas, calaram-se, não mais denunciam o perigo, o pecado, mas, abrem os portões sagrados para que o mal se acomodem. Todos os atalaias são cego, nada sabem; todos são cães mudos, não podem ladrar; andam adormecidos, estão deitados, e amam o tosquenejar. Isaias 56:10
Eu bem sei que, Deus é um Deus de promessas, só que, muitos estão dizendo que Deus disse; o que Deus não disse; prometendo coisas que está fora do padrão de Deus, ensinam-se um evangelho forjado não no fogo de Deus, mas, no fogo estranho.
A casa do Senhor virou comercio, vende-se de tudo, desde bijuterias a arte, até peças intimas se comercializam, merchandagem engoli o tempo da mensagem. Vai-se indo, ajeitando a contento, articulando no anonimato, promovendo a religião e encaminhando as pessoas não para o reino de Deus, mas, para o abismo. Hipócritas, bem profetizou Isaias a vosso respeito, dizendo: Este povo honra-me com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim. Mateus 15: 7-8.
Até quando iremos viver um evangelho desvirtuado, corrompido no desejo humano? A Ganancia superou o amor; muitos, dos que Deus confiou seu tesouro, usurpou as coisa do reino, viu a